INFINITAS POSSIBILIDADES !!

Querid@s,


Neste espaço compartilho as experiencias e impressões do dia a dia, seja dos relacionamentos, da vida, dos sentimentos e das pessoas. Lembranças e esperanças, concretos e abstrações, angustias e alegrias e principalmente a entrega no mundo das possibilidades que permite que celebremos encontros, desencontros, sabores, dissabores, afetos e desafetos, muitas vezes catarseando e outras transloucando.

Nossas possibilidades são infinitas como o amor, profundas como a vida e encantadoras como nós. Nossos pensamentos e reflexões vivem no limiar das experiencias e sucubem no desconhecido, portanto, permitir que vocês percebam as cabriolas do mundo interior ao se identificar com alguns textos ou opor-se a outros, ou ainda plantando uma semente para reflexão acerca de qualquer tema seria minha primeira intenção, porem, despretensiosamente, simplesmente desenharei palavras e às imagens vocês darão as cores, as formas e o destino de cada viagem à subjetividade, cada um criará.

Serão bem vindas as criticas, sugestões e partilhas.

Sera um prazer navegar com vocês!

Sejam bem vind@s! Namastê!


domingo, 22 de abril de 2012

Manjar de Aphrodite



Cansado em noite adentro
Como tantas outras que se passaram
Assim acordei
E fugi do mundo...
Perdendo o que estava guardado ao fundo
do bau das lembranças da alma

Os pensamentos e sentimentos
Fugidos
Miragem de uma noite de inverno
Rodopiando no chão batido
Abrindo portas e fechando-as

Como cocheiro
Conduzi a charrete e parti
Com a sensação de ter sido
O preludio da felicidade

Pessoas partem... Pessoas nascem...
E os sorrisos viram fotografias
Estáticas... Plásticas
Ao amanhecer de dias
Infinitos

Em meio a visão constante
Um caminho árduo a percorrer
Onde aos lados nada se via
E uma luz ao final reluzia
Branda intensificando-se

Triênio feliz
Mesmo não tendo tudo que quis
A companhia, energia, orgia
Manifestava-se em plenitude
Superando dificultades de la vida

Olhos firmes no futuro
Se o passado foi obscuro
Flores hei de haver
Amarelas, lilases, vermelhas...
Aromas hei de haver
Lírios, lavandas, rosas
No jardim procurado
No sonho encontrado

Voam almas...
Passeiam transeuntes
Indiferentes
Com olhares inconscientes
Aos amores alheios
  
Tentam até
mirar o horizonte
E encontrar alguma pista
Que os conduza ao suspenso jardim

Porem, o silencio...

E os olhares de todos os lados
perseguindo-me

E de súbito
Eis-me prostrado
Degustando
O manjar da Deusa Afrodite
preparado no Alquidar
e logo após ao chegar ao jardim
Em profundo sono cai
cansado de tentativas
em noite adentro...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens

Ocorreu um erro neste gadget