INFINITAS POSSIBILIDADES !!

Querid@s,


Neste espaço compartilho as experiencias e impressões do dia a dia, seja dos relacionamentos, da vida, dos sentimentos e das pessoas. Lembranças e esperanças, concretos e abstrações, angustias e alegrias e principalmente a entrega no mundo das possibilidades que permite que celebremos encontros, desencontros, sabores, dissabores, afetos e desafetos, muitas vezes catarseando e outras transloucando.

Nossas possibilidades são infinitas como o amor, profundas como a vida e encantadoras como nós. Nossos pensamentos e reflexões vivem no limiar das experiencias e sucubem no desconhecido, portanto, permitir que vocês percebam as cabriolas do mundo interior ao se identificar com alguns textos ou opor-se a outros, ou ainda plantando uma semente para reflexão acerca de qualquer tema seria minha primeira intenção, porem, despretensiosamente, simplesmente desenharei palavras e às imagens vocês darão as cores, as formas e o destino de cada viagem à subjetividade, cada um criará.

Serão bem vindas as criticas, sugestões e partilhas.

Sera um prazer navegar com vocês!

Sejam bem vind@s! Namastê!


sexta-feira, 30 de março de 2012

Tempo + cumplicidade = amor

                                                                   Dedico ao Sr. Edgar e Sra. Rosa



Hoje

Encontrei 156 anos juntos

Mãos dadas

Sorrindo sentados

Em uma mesa de bar

Ele 86 anos e ela 70

Um casal enamorando

Que venceram teorias de antropólogos

Decepções, tristezas

Filhos que partiram

Falta de dinheiro

Dentre tantas outras relatadas

E estavam ali

Bem em minha frente...

E eu que estava perdendo as esperanças...

Em meio a esta individualidade exacerbada

E aos valores de amores perdidos

Estávamos em frente ao Farol da Barra

Ela tomando chopp

Ele tomando agua

Sorridentes como se nunca tivessem sofrido

Sem as feridas do tempo

Leves e felizes

Conversando tornei-me

Um quase amigo

Descobri historias

Descortinei como 55 anos de convivência

Fazem com que seres

Se tornem tão iguais

Tão cumplices

Carinhosos e amantes

Os dois pareciam

Uma poesia pintada com pincel

Caricias e sonhos que resistiam

No Oceania, sentindo a brisa do mar

Fiquei ali ao lado, à espreita

Sentado

Atônito

Feliz por perceber que entre tantos casais

Buscando sexo no flerte de final de tarde

Eles transcendiam

Viviam pra eles, pros filhos, pros netos..

Enfim “Não tememos a morte porque vivemos pra vida”

Ela assim falou e depois soltou a gargalhada

Daquelas tão gostosa de se ouvir

Que deu vontade de pedir bis

E senti no seu olhar a nobreza dos espíritos

de amantes realizados

E eu continuei ali

Com o malte escocês

Que acredito que não era puro

Mas fazer o que nos dias de hoje se tudo é do Paraguai

Mas depois os deixei sozinhos novamente

E continuei Ouvindo... ouvindo... ouvindo...

Era tudo que meu espirito queria presenciar naquele momento

Me trouxeram a esperança

de um amor duradouro

e partiram como um sonho

Benzinho e Mô se foram

Beijaram-se e partiram

Atravessaram a rua os enamorados do final do dia

E saíram de mãos dadas como dois adolescentes

Felizes na primeira paixão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens

Ocorreu um erro neste gadget